27/08/16

 WhatsApp tem recurso secreto para mandar gifs animados
Beatriz Marks

WhatsApp tem recurso secreto para mandar gifs animados




O WhatsApp ganhou mais uma função que faltava, gifs animados. Mas por enquanto, a novidade está em testes, funciona apenas na versão beta do aplicativo e somente para vídeos feitos pelo próprio usuário por enquanto.

Para mandar um gif para seus contatos, é preciso tocar no clip, no canto superior direito da conversa, selecionar a opção "Galeria" e então "Gravar um vídeo".

Após a filmagem, você deve prosseguir com o envio e tocar no ícone da filmadora. Fazendo isso, ele se transforma em um ícone indicando que a imagem será mandada como um gif para o seu contato. 

Por enquanto, a novidade é restrita à versão beta do WhatsApp. Para se inscrever gratuitamente no programa de testes do aplicativo para Android, você pode fazer um cadastro na página.

Continue lendo →

26/08/16

Pessoas na Bélgica estão jogando "Caçadores de Livros" em vez de Pokemon GO
Beatriz Marks

Pessoas na Bélgica estão jogando "Caçadores de Livros" em vez de Pokemon GO




Tá aí, uma moda que eu gostaria que pegasse no mundo todo! Caçar bons livros para ler, tanto quanto têm-se caçado pokemons!

Precisamos de pessoas inspiradas por grandes ideias que realmente possam mudar o mundo. E uma diretora de uma escola primária da Bélgica desenvolveu um jogo online para que pessoas busquem livros, e não monstros, atraindo dezenas de milhares de jogadores em semanas, inspirado no jogo Pokemon GO!

A versão de Aveline Gregoire é jogada por um grupo no Facebook chamado Caçadores de Livros.

Jogadores publicam fotos e dicas sobre onde esconderam livros e outros tentam localizá-los. Ao terminar de ler um livro, os jogadores devolvem à cidade.

"Enquanto estava organizando minha biblioteca, percebi que não tinha espaço suficiente para todos os meus livros. Jogando Pokémon Go com meus filhos, tive a ideia de liberar os livros na natureza", disse Gregoire à Reuters.

Embora tenha sido criado há poucas semanas, mais de 40 mil pessoas já se juntaram ao grupo de Gregoire no Facebook.

Os livros variam de infantis a suspenses e são espalhados por cidades e áreas rurais, muitas vezes envolvidos em plástico para serem protegidos da chuva.
Gregoire agora pensa na ideia de avançar com o jogo e criar um aplicativo para ele. 

Mas o melhor dessa brilhante ideia, é a de que assim como no Pokemon GO! Os monstros ficam presos em uma pokebola, o conhecimento dos livros ficaram "presos" na caixola para serem soltos no momento oportuno.


Por mais ideias assim, por favor!


Resultado de imagem para reuters
Continue lendo →
É possível trabalhar menos e produzir mais!
Beatriz Marks

É possível trabalhar menos e produzir mais!

Já imaginou trabalhar menos e produzir mais?

Muitas empresas de países desenvolvidos já entendem uma proveitosa importância dessa relação tempo + produtividade e estão revendo a carga horária de seus funcionários.
Para comprovar os benefícios disso, um levantamento da consultoria inglesa Expert Market, que analisou dados de 36 países (o Brasil não está entre eles), sugere a real possibilidade de menos e mais produtividade.
O estudo dividiu o PIB (Produto Interno Bruto) per capita --que representa a produção por pessoa, em libras (moeda britânica)-- pelo número de horas trabalhadas, em média, por ano.
Sete países que estão entre as maiores economias do mundo aparecem entre os dez com menor número de horas trabalhadas: Luxemburgo, Noruega, Suíça, Holanda, Alemanha, Dinamarca e Suécia.
Alemães trabalham menos horas

Entre os 36 países, a Alemanha tem o menor número de horas de trabalho por ano: 1.371 por pessoa --abaixo da média mundial, de 1.762 horas.
Mesmo trabalhando menos horas, o país ficou em sexto em termos de produtividade. Por lá, cada pessoa gera, em média, 25,95 libras por hora.
O campeão de produtividade foi Luxemburgo, onde uma pessoa gera 45,71 libras, em média, por hora. O país é o 10º com o menor número de horas trabalhadas por ano.
Veja o ranking de produtividade por país:


1.            Luxemburgo - trabalham 1.643 horas/ano; produtividade por hora de 45,71 libras
2.            Noruega - trabalham 1.427 horas/ano; produtividade por hora: 36,36 libras
3.            Austrália - trabalham 1.664.2 horas/ano; produtividade por hora: 29,81 libras
4.            Suíça - trabalham 1.568,2 horas/ano; produtividade por hora: 28,35 libras
5.            Holanda - trabalham 1.425 horas/ano; produtividade por hora: 28,35 libras
6.            Alemanha - trabalham 1.371 horas/ano; produtividade por hora: 25,95 libras
7.            Dinamarca - trabalham 1.436 horas/ano; produtividade por hora: 24,14 libras
8.            EUA - trabalham 1.789 horas/ano; produtividade por hora: 23,66 libras
9.            Irlanda - trabalham 1821,26 horas/ano; produtividade por hora: 23,12 libras
10.         Suécia - trabalham 1.609 horas/ano; produtividade por hora: 22,58 libras
11.         Áustria - trabalham 1628,7 horas/ano; produtividade por hora: 22.03 libras
12.         França - trabalham 1473,45 horas/ano; produtividade por hora: 21,21 libras
13.         Canadá - trabalham 1.704 horas/ano; produtividade por hora: 20,30 libras
14.         Finlândia - trabalham 1.645 horas/ano; produtividade por hora: 18,95 libras
15.         Islândia - trabalham 1.864 horas/ano; produtividade por hora: 18,76 libras
16.         Reino Unido - trabalham 1.677 horas/ano; produtividade por hora: 18,64 libras
17.         Japão - trabalham 1.729 horas/ano; produtividade por hora: 16,72 libras
18.         Espanha - trabalham 1.688,8 horas/ano; produtividade por hora: 15,63 libras
19.         Itália - trabalham 1.733,9 horas/ano; produtividade por hora: 15,62 libras
20.         Nova Zelândia - trabalham 1.762 horas/ano; produtividade por hora: 15,58 libras
21.         Eslovênia - trabalham 1.561 horas/ano; produtividade por hora: 15,06 libras
22.         Israel - trabalham 1.853 horas/ano; produtividade por hora: 13,80 libras
23.         Coreia do Sul - trabalham 1.789 horas/ano; produtividade por hora: 23,66 libras
24.         República Tcheca - trabalham 1.776 horas/ano; produtividade por hora: 13,50 libras
25.         Eslováquia - trabalham 1.763 horas/ano; produtividade por hora: 12,78 libras
26.         Lituânia - trabalham 1.834 horas/ano; produtividade por hora: 11,75 libras
27.         Estônia - trabalham 1.859 horas/ano; produtividade por hora: 11,67 libras
28.         Portugal - trabalham 1.857 horas/ano; produtividade por hora: 11,36 libras
29.         Hungria - trabalham 1.857,9 horas/ano; produtividade por hora: 10,70 libras
30.         Polônia - trabalham 1.923 horas/ano; produtividade por hora: 10,45 libras
31.         Grécia - trabalham 2.042 horas/ano; produtividade por hora: 9,81 libras
32.         Rússia - trabalham 1.985 horas/ano; produtividade por hora: 9,71 libras
33.         Letônia - trabalham 1.938 horas/ano; produtividade por hora: 9,67 libras
34.         Chile - trabalham 1.989,8 horas/ano; produtividade por hora: 8,96 libras
35.         México - trabalham 2.228 horas/ano; produtividade por hora: 5,96 libras
36.         Costa Rica - trabalham 2.216 horas/ano; produtividade por hora: 5,31 libras

Mais horas, menos produtividade

A ponta de baixo do ranking também parece comprovar a tese de que menos horas de trabalho ajudam a aumentar a produtividade, segundo a consultoria.
Oito países aparecem tanto na lista dos dez com mais horas de trabalho, quanto entre os dez com menor produtividade: México, Costa Rica, Grécia, Chile, Rússia, Letônia, Polônia e Estônia.
O México, por exemplo, é o país com o maior número de horas trabalhadas: 2.228 ao ano. Logo atrás aparece a Costa Rica, com 2.216. Os dois países também aparecem como os últimos em termos de produtividade.
Jornada de 80 horas



Em julho, o presidente da CNI (Confederação Nacional da Indústria), Robson Braga de Andrade, gerou polêmica ao defender mudanças nas leis trabalhistas e citar como exemplo o caso da França, afirmando que o país aprovou a jornada de trabalho de até 80 horas semanais.
"Nós aqui no Brasil temos 44 horas de trabalho semanais. As centrais sindicais tentam passar esse número para 40. A França, que tem 36 horas, passou agora para 80, a possibilidade de até 80 horas de trabalho semanal [na verdade, são 60 horas] e até 12 horas diárias de trabalho", afirmou.
Depois das declarações, a CNI divulgou nota dizendo que o presidente da confederação não defendeu o aumento da jornada de trabalho no Brasil.

Do site UOL


Continue lendo →

24/08/16

Samsung pode vender celulares de segunda mão restaurados
Beatriz Marks

Samsung pode vender celulares de segunda mão restaurados




Já imaginou comprar um smartphone premium da Samsung de segunda mão, bem conservado e com um preço bem em conta?

E melhor ainda se for da própria loja SAMSUNG e já em 2016!

Informações de uma fonte oficial, dão conta de que a empresa sul-coreana tem buscado formas de sustentar os ganhos após voltar ao lucro em aparelhos móveis depois de reestruturar sua linha de produção. Com a expansão do mercado de smartphones atingindo um teto, ela quer maximizar sua eficiência de custos e manter as margens operacionais acima de 10%.

Em mercados como Coreia do Sul e Estados Unidos, a empresa vai renovar os aparelhos de alta tecnologia que forem devolvidos por usuários adeptos do programa de atualização em um ano.
A Samsung, então, revenderia os celulares por um preço menor. Este plano já não foi divulgado oficialmente.>

Ainda não se sabe de quanto seria o desconto nos aparelhos remanufaturados, em quais países eles seriam vendidos ou quantos smartphones a Samsung pretende incluir no programa. Um porta-voz da empresa disse que não comenta especulações.´


Agora é só a gente esperar pra ver se essa novidade vai chegar aqui no Brasil.
Continue lendo →

03/07/16

Presidente das Filipinas manda população matar traficantes e drogados para combater criminalidade - LOCUÇÃO EM VÍDEO
Beatriz Marks

Presidente das Filipinas manda população matar traficantes e drogados para combater criminalidade - LOCUÇÃO EM VÍDEO



"A todos vocês que andam com drogas, a vocês filhos do diabo, a verdade é que vou matá-los", disse Rodrigo Duterte no último sábado, quando ainda era apenas candidato à Presidência das Filipinas.

Com essa linha de discurso, ele ganhou as eleições realizadas na última segunda-feira. Com uma proposta linha-dura, Duterte conquistou a maioria dos votos dos 54 milhões de habitantes que estavam habilitados a participar da eleição.

"Não tenho paciência e comigo não há meio-termo. Ou eles me matam, ou eu mato todos esses idiotas", disse o então candidato.

Essas não foram as únicas frases polêmicas ditas por Duterte ao longo de sua campanha. Ele afirmou que iria "massacrar" os criminosos e usuários de drogas, fez piada com o estupro de uma missionária australiana e disse que iria "fechar o Congresso" se não concordassem com ele.
O novo presidente também havia dado declarações fortes sobre a briga territorial das Filipinas com a China no Mar da China Meridional, dizendo que ele iria navegar até as ilhas em disputa e colocar a bandeira filipina nelas.



Essas foram algumas das inúmeras polêmicas causadas por Duterte ao longo da campanha. Muitos especialistas chegaram a compará-lo ao candidato republicano dos Estados Unidos para a Presidência Donald Trump. Ainda que Duterte tenha dito que o magnata americano seja um "fanático", existem certos paralelismos entre os dois.

Os dois foram rejeitados pelo establishment político no início da corrida eleitoral e incendiaram a opinião pública em várias ocasiões com suas declarações chocantes.

Assim como Trump tachou os imigrantes mexicanos de "violadores" que levam aos EUA "suas drogas e seus crimes", Duterte criou polêmica quando fez piada sobre o estupro e assassinato da missionária australiana Jaqueline Hamil.

Ela foi sequestrada e feita refém em 1989, quando houve uma rebelião na prisão onde trabalhava. Todas as mulheres presentes no local foram estupradas.


"Entre elas estava essa missionária australiana. E quando vi seu rosto, pensei: 'Merda. Que lástima! A estupraram e fizeram fila para isso, foi terrível. Era tão bonita… O prefeito deveria ter sido o primeiro!", afirmou em tom jocoso.

A tragédia aconteceu em uma cadeia de Davao, cidade do Sul das Filipinas da qual Duterte era prefeito à época.


Mão de ferro


Nos tempos em que foi prefeito, por sete mandatos – 22 anos no total -, Duterte já era conhecido por defender "mão de ferro" contra o crime. E ele prometeu adotar a mesma linha na Presidência.

O agora presidente eleito alega ter conseguido transformar uma das cidades mais perigosas do arquipélago em uma das mais seguras, mas as estatísticas apontam que Davao segue ocupando os primeiros lugares do ranking de insegurança.

Grupos de direitos humanos denunciam que as cifras de criminalidade foram reduzidas drasticamente por causa da ação dos "esquadrões da morte", que haviam assassinado milhares de supostos criminosos na década de 1990.

Eles alegam que esses grupos de extermínio tiveram apoio do prefeito, algo que o candidato negou por diversas vezes, mas que foi motivo para ele se vangloriar em outras ocasiões.
De qualquer forma, por essas e outras, Duterte ganhou o apelido de "castigador".

Ao ser eleito, Duterte disse que "com bastante humildade, aceita o mandato do povo"
Na campanha, ele prometeu que, eleito presidente, reduziria os níveis nacionais de criminalidade com a mesma estratégia e em tempo recorde: entre três e seis meses.
Ele também disse que acabaria com a corrupção em um país onde o crescimento econômico está perto dos 6%, mas onde muitos ainda vivem na pobreza extrema.

'Ditador em potencial'

Dessa forma, ele ganhou o apoio de cidadãos que passaram a enxergá-lo como o único candidato capaz de colocar ordem no país. Ainda que outros, como o atual presidente Benigno Aquino 3º, o enxerguem como "um ditador em potencial" – Aquino chegou a compará-lo a Hitler.
"Espero que tenhamos aprendido as lições da história e que nos lembremos de como Hitler chegou ao poder", disse o presidente, cujo mandato termina no mês que vem.

Aquino tentou até unir os outros candidatos que concorriam com Duterte numa tentativa de impedir a vitória deste, mas a estratégia não teve sucesso. O polêmico ex-prefeito de Davao venceu as eleições com pelo menos 14,8 milhões de votos, segundo a apuração parcial, que já dava a vitória a ele.

BBC BRASIL
Continue lendo →